08 junho, 2008

ser quem sou

Ando numa onda demasiado volátil para nadar, demasiado impaciente e incerta.

Perdi-me num ritmo injusto de apenas agradar o que me pertence.

Corri demais atrás de sombras e nuvens disformes, sem notar a sofreguidão com que o ar me fugia.

Agora sou eu quem me governa, quem decide a ordem dos ponteiros, quem gera o fogo do próprio chão.

Da meta se fez início, ponto de partida, origem do ser...

Do sono se criou o sonho, o vector de um caminho que não sabe que passo dar...

Gosto deste incerto, da minha questão, do constante desenho do futuro.

Gosto de descobrir as folhas, colher os frutos e seguir.
Gosto do saber esse sabor agridoce.

Gosto de ser quem sou.

4 comentários:

Anónimo disse...

Gosto que sejas, quem és...sem tirar nem pôr:)

Little Fairy

Maryposa disse...

também te adooooroo!!!

Dirty Day disse...

Devemos sempre quem somos, sem medos nem receios, quem nos quiser acompanhar será muito bem vindo... quem não quiser, bom fica um lugar livre para o proximo marujo.
Blue Kiss fron the stars

Vaskini disse...

Se não gostarmos de nós, quem gostará?
:)